RESTRIÇÃO CALÓRICA AUMENTA LONGEVIDADE

 

Cientistas japoneses concluíram que “comer pouco é a maneira mais eficaz de ter uma vida mais longa”. As informações são da agência de notícias Efe, de Londres. O estudo científico foi conduzido pela Universidade de Kyoto, no Japão, e publicado pela revista especializada “Nature”.

 

Clique aqui para ver a reportagem da Efe, publicada no suplemento de Ciência do portal de notícias Folha Online. Clique aqui para ler um resumo do estudo científico, em inglês, no site da “Nature”.

 

Segundo o resumo, estudos anteriores mostraram que dois regimes de restrição calórica (jejum intermitente e restrição calórica crônica) implicavam extensão do tempo de vida e redução de problemas de saúde relacionados à idade, em mamíferos.

 

Os pesquisadores japoneses avaliaram o papel da enzima RHEB-1 no prolongamento da vida, e as alterações da enzima causadas pelo comportamento alimentar do Caenorhabditis elegans, uma espécie de verme da terra. O princípio pode ser aplicado a mamíferos, como o ser humano.

 

Segundo a reportagem da Efe, vermes que ficavam sem alimentação por dois dias tiveram a vida prolongada em aproximadamente 50%, maior resistência ao estresse oxidativo e menos sintomas de declínio físico relacionado ao envelhecimento, se comparados a vermes que podiam comer à vontade.

 

Este período sem alimentação é chamado de jejum intermitente (JI). Segundo o resumo da “Nature”, o JI conseguiu aumentar a longevidade mesmo quando havia pouca ou nenhuma restrição calórica crônica.

 

No entanto, os mecanismos moleculares por trás da longevidade induzida pelo JI permanecem amplamente desconhecidos.

 

 

Leia mais neste blog sobre longevidade:

 

FELICIDADE, SAÚDE E LONGEVIDADE

EXERCÍCIO PODE RETARDAR ENVELHECIMENTO

 

3 respostas para RESTRIÇÃO CALÓRICA AUMENTA LONGEVIDADE

  1. Marcellus disse:

    Existe alguma proposta ou sugestão de como deveria ser uma dieta para o homem? Comer dois dias normalmente e não comer no terceiro dia?

    Eu já ouvir falar sobre isso, mas não encontrei algo mais concreto. Eu assisti a um programa sobre longividade aonde um sujeito fazia jejuns, mas no final de um tempo não ouver nenhum dado que provasse que ele não estava envelhecendo, e sim que ele estava mais fraco e envelhecido.

    • Lauro Toledo disse:

      Prezado Marcellus,

      o ato de consumir nutrientes em excesso é uma das principais causas da obesidade e pode estar associado ao desenvolvimento de várias doenças.

      Quando se pensa em restrição calórica, não estamos considerando jejuns radicais de dia inteiro ou mesmo de vários dias, mas sim reduzir a quantidade e melhorar a qualidade dos alimentos consumidos.

      Segundo artigo publicado no suplemento de Ciência e Saúde do UOL (“Comer pouco e bem é a chave para a longevidade”, disponível em http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultnot/2009/03/26/ult4477u1467.jhtm), mesmo na restrição calórica é preciso manter “níveis adequados de proteínas, vitaminas e minerais”

      Em entrevista à reportagem, o geneticista Salmo Raskin esclarece que a restrição calórica inibe o metabolismo oxidativo (responsável pela morte das células), fazendo o corpo usar melhor o combustível celular. A restrição calórica também poderia aumentar os níveis do hormônio do crescimento, segundo pesquisas.

      O sujeito que fazia jejuns, no programa de TV que você mencionou, provavelmente sofria de sérias deficiências nutricionais.

      A reportagem do UOL traz algumas recomendações nutricionais de Jocelem Salgado, pesquisadora e especialista em nutrição, do seu livro “Guia dos Funcionais” (Ediouro):

      “- incluir na dieta pelo menos cinco porções diárias de amidos e cereais complexos, como cereais, pãees, arroz e trigo integrais, e leguminosas, como ervilha, lentilha, grão-de-bico, feijão e batata. Esses alimentos são fontes de vitaminas do complexo B e proteínas, principalmente quando se combinam cereais e leguminosas na mesma refeição;

      – consumir pelo menos cinco porções diárias de vegetais e frutas, como brócolis, repolho, couve, vegetais amarelos como cenoura e abóbora, frutas cítricas, tomates e banana. Esses alimentos são ricos em vitaminas C e A, betacaroteno, riboflavina, folato, minerais e fibras – nutrientes necessários para prevenir doenças, em especial o câncer;

      – incluir duas porções diárias de alimentos ricos em proteínas, como leite desnatado, queijo, iogurte e outros produtos lácteos. Esses alimentos são fontes de proteínas, cálcio e vitamina D – nutrientes necessários para prevenir a perda de minerais nos ossos.”

      Se você está interessado em praticar a restrição calórica, recomendo que você procure a orientação de um nutricionista.

      Espero ter ajudado! Grato por sua participação, volte sempre aqui

  2. Pedro disse:

    Muito boa noite, ja andei a pesquisar sobre este tema, mas nao encontrei nenhum artigo que me provasse que a Restrição Calorica (RC) ou o Jejum Intermitente (JI) funcionassem realmente em humanos.
    Ja agora, quanto a mim parece haver uma evidente contradição. Se esta provado que o exercicio fisico faz bem a saude e prolonga a longevidade, numa dieta por RC como vamos obter as calorias (energia) que necessitamos para praticar exercicio?

    Cumprimentos, PM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: