TATUAGEM E CÂNCER DE PELE

Em resposta à sugestão de um leitor, este blog investigou a possibilidade de tatuagens causarem câncer de pele. Leia os resultados da pesquisa, a seguir.

Lisa Fayed, do site revisado por junta médica about.com, escreveu que não há evidências que suportem a idéia, mas que tatuagens escuras podem tornar difícil a detecção de pintas cancerosas, como o melanoma.

Clique aqui para ver a página. Fayed conclui dizendo que pessoas que fazem tatuagem (como todo mundo, na verdade) precisam examinar sua pele mensalmente em busca de alterações. A fonte foi o Health Services da Universidade de Columbia, EUA.

O site goaskalice (pergunte à alice, em tradução livre) responde à seguinte pergunta: O que é usado na tinta da tatuagem? Isso pode causar câncer ou qualquer outro problema de saúde? Clique aqui para ver o site.

A resposta é que a tinta de tatuagens é feita de pigmentos derivados de uma variedade de metais, que produzem as cores. A preocupação com os efeitos na saúde não é desprezível.

Segundo o site, não há registro de câncer causado por tatuagens ou tinta de tatuagem na literatura médica, mas há relatos de reações alérgicas, em especial às cores vermelha e amarela.

Existe ainda uma reação não imune rara a alguns dos pigmentos. O site também fala que a coloração escura de tatuagens dificulta a identificação de pintas como o melanoma. E alerta para o risco de usar agulhas contaminadas, ou más condições de higiene no local da aplicação da tatuagem.

Um artigo publicado no “Dermatology Online Journal” diz que foram descritas reações ao pigmento de tatuagens. As reações incluem hipersensibilidade alérgica inflamatória aguda, e alguns tipos de reações histopatológicas granulomatosas, liquenóides ou pseudolinfomatosas.

Clique aqui para ver o artigo.

O artigo também fala que não há evidência de ligação entre tatuagem e câncer de pele, e que tatuagens escuras podem dificultar o diagnóstico precoce do câncer de pele.

O artigo traz fotos de melanoma crescendo dentro da tatuagem de antebraço. Dá referência a teorias que foram postuladas para implicar efeitos carcinogênicos da tinta da tatuagem ou do trauma associado à tatuagem.

Reações adversas à tatuagem

Outros sites abordam as reações adversas e alérgicas causadas pela tatuagem.

O site Dermnetnz fala em reações inflamatórias agudas, eczematosas de hipersensibilidade, agravadas pela exposição à luz, granulomatosas, liquenóides e pseudolinfomatosas.

As reações inflamatórias agudas seriam uma resposta do organismo às picadas com agulhas impregnadas com pigmentos preparados de sais de metais. A vermelhidão e o inchaço seriam efeitos adversos transitórios do processo de tatuagem e desapareceriam em duas a três semanas.

Já as infecções de pele não seriam comuns em tatuagens, mas a transmissão de sífilis, hanseníase, hepatite e HIV foram relatadas.

As reações eczematosas de hipersensibilidade mais comuns aos pigmentos seriam dermatite alérgica de contato e dermatite fotoalérgica. Elas aparecem como erupção cutânea inflamada e às vezes pode ser escamosa e floculada (dermatite esfoliante).

Tatuagens na cor vermelha causariam a maior parte dessas reações, particularmente se feitas à base de sulfeto de mercúrio. Sensibilidade aos pigmentos preto, azul e verde seriam menos comuns.

O site traz a composição de algumas tintas de tatuagem. Pigmentos amarelos seriam responsáveis pela maioria das reações agravadas pela espoxição à luz, com inchaço e vermelhidão ao redor da tatuagem.

Pigmentos vermelhos, seguidos de verde, azul e púrpura causariam reações nas células chamadas de granulomas, com o aparecimento de calombos vermelhos no local da tatuagem, feitos de células epitelóides, linfócitos e células gigantes.

As reações liquenóides seriam menos comuns. Os sintomas são semelhantes aos causados pelo lichen planus, e costumam se restringir às partes avermelhadas da tatuagem.

O site fala ainda sobre a remoção de tatuagens, feita frequentemente com Q-switched lasers. Seriam necessárias de cinco a doze sessões, e nem sempre é possível remover a tatuagem completamente.

Os pigmentos branco e amarelo seriam os mais difíceis de remover. A remoção de tatuagens pode causar as seguintes complicações: cicatrizes; mudanças indesejadas de cor, incluindo escurecimento da tatuagem; dispersão de reações alérgicas a medida que os grânulos da tatuagem se espalham pelo corpo.

FDA, luz solar e tatuagens

Uma página do site da FDA (Food and Drug Administration), agência americana que regulamenta drogas e alimentos, dizia, em 2002, que a FDA estava estudando se a combinação de sol e ingredientes usados em tintas de tatuagem poderia ser ligada a efeitos tóxicos ou câncer.

Segundo a página, a luz solar reduz a elasticidade da pele, levando ao envelhecimento precoce na forma do aparecimento de rugas. As pessoas não saberiam o perigo do bronzeamento, que seria uma adaptação da pele aos raios prejudiciais ultravioleta (UV).

O bronzeamento acontece quando a pele produz pigmentos para se proteger do sol. A consequência mais séria da queimadura solar: o câncer de pele, cujos efeitos são retardados e demoram anos a aparecer.

Segundo o secretário para o Health and Human Services, Tommy G. Thompson, apenas algumas queimaduras solares sérias podem aumentar o risco de alguém contrair câncer de pele.

Médicos estão preocupados com o câncer de pele. O número de pessoas com melanoma cresce 3% ao ano, nos EUA. As estatísticas indicam que uma a cada sete pessoas vai desenvolver alguma forma de câncer de pele durante sua vida.

Dermatologistas acreditam que pode haver uma ligação entre queimaduras solares na infância e o aparecimento posterior de melanoma. Linda L. Lutz, M.D., professora assistente de dermatologia na Universidade de Maryland, Baltimore, diz que “a maior parte do dano solar que recebemos se deu antes dos vinte anos de idade. É o efeito acumulativo da exposição solar que causa problemas”.

Para prevenir o câncer de pele, a FDA recomenda:
- usar roupas, chapéus e óculos escuros para proteger a pele;
- usar um protetor solar eficaz contra as radiações UVA e UVB, com FPS (fator de proteção solar) mínimo de 15;
- limitar a exposição ao sol entre 10h e 16h; procurar sombras, especialmente ao redor do meio-dia.

Enquanto que a relação entre exposição solar e câncer de pele está bem estabelecida, a tinta das tatuagens está sendo alvo de estudos, e estudos futuros serão conduzidos para determinar se a associação com a exposição aos raios ultravioleta induz toxicidade e câncer, em animais de laboratório.

Outro site diz que a FDA lançou uma investigação sobre os pigmentos contidos na tinta de tatuagens, e suas consequências potenciais na saúde. A investigação, que vai demorar vários anos, inclui saber como os pigmentos são quebrados dentro do corpo, se eles apresentam riscos a longo termo e se algumas substâncias trariam mais riscos que outras.

A investigação teria sido motivada por relatos de efeitos adversos causados à pele por tintas de tatuagem, a crescente popularidade da tatuagem entre os americanos e preocupações da comunidade científica.

Um dos produtos utilizados em tintas de tatuagem é o timerosal, um composto orgânico feito do mercúrio. A preocupação é que o mercúrio é uma neurotoxina, com efeitos graves em gestantes, recém-nascidos e crianças. O timerosal foi removido de todas as vacinas, recomendadas para crianças pequenas, com exceção de algumas vacinas contra a gripe.

O site medicinenet diz que a FDA deixou a regulamentação sobre tintas de tatuagens para leis locais, nos Estados americanos, mas veio a público com um alerta. Clique aqui para ver a página do site.

A FDA estaria preocupada com a qualidade dos pigmentos utilizados, pois alguns não seriam apropriados ao contato com a pele, e sim para uso industrial. A agência também alertou para os efeitos adversos, como infecções, reações alérgicas, granulomas e quelóides, sem falar da dificuldade de remover as tatuagens.

Estudos clínicos

Um estudo apontou que pigmentos de tatuagem em nódulos linfáticos representam um desafio clínico. Leia o resumo do estudo, em inglês, aqui.

Se a tatuagem estiver presente na área do melanoma primário, os nódulos linfáticos provavelmente irão conter pigmento, e servião de depósito para depósitos metastáticos do melanoma. Foi descrito um caso de um senhor idoso com tatuagem nas proximidades de um melanoma.

Um nódulo linfático com cor escurecida foi localizado, o que levantou a suspeita de metástase (quando o câncer se espalha para outras partes do corpo). Um exame histológico identificou apenas macrófagos pigmentados, sem melanoma metastático maligno. O estudo sugeriu análise histológica de um nódulo pigmentado aumentado antes de realizar cirurgia de intervenção drástica.

Outro estudo chegou a conclusão semelhante: pigmentos de tatuagem podem migrar aos nódulos linfáticos regionais.

Em indivíduos que desenvolveram melanoma e possuem tatuagens, o pigmento pode mimetizar (imitar) doença metastática. Os autores também recomendam análise histológica antes de decisões adicionais de tratamento.

Um estudo foi o único a fazer referência a tumores como complicações de uma tatuagem.

O estudo apresentou as conclusões de pesquisa clínica e revisão da literatura médica disponível, com relação aos principais problemas causados pela tatuagem, incluindo complicações clínicas. Os resultados mostraram doenças infecciosas, muitas reações alérgicas, granulomas e tumores.

Conclusão

Muitas pessoas fazem tatuagens sem problemas, mas o risco de complicações existe.

As fontes pesquisadas (exceto uma) não fizeram uma conexão entre tatuagem e câncer de pele. Mais pesquisas são necessárias, e o assunto está sendo investigado pela FDA.

No entanto, é consenso que a tatuagem de cor escura pode dificultar a identificação precoce de pintas que podem ser câncer de pele. Os pigmentos da tatuagem também pode se infiltrar em nódulos linfáticos, levantando a falsa suspeita de metástase.

As tatuagens podem apresentar uma série de efeitos adversos, incluindo reações alérgicas e doenças infecciosas. A sua remoção é difícil e nem sempre é possível completamente, podendo ainda causar complicações clínicas.

11 respostas para TATUAGEM E CÂNCER DE PELE

  1. que idéia a relação, nunca li nada parecido.

  2. Lauro Toledo disse:

    É mesmo, Isis. Acho que a possibilidade de câncer de pele com tatuagem não pode ser descartada. Pelo que vi nas pesquisas, não há nenhum caso comprovado. Mas a FDA está investigando o assunto.

    Obrigado pela participação, e boas festas!

  3. [...] inflamada e às vezes pode ser escamosa e floculada (dermatite … Veja o post completo clicando aqui. Post indexado de: [...]

  4. henrique edric de almeida disse:

    ola
    muito interessante a materia
    importante termos essas informacoes,
    para melhorarmos nossa qualidade de vida.
    parabens pelo trabalho ,grato .abs

  5. SOCORRO CHAVES disse:

    já tirei um cancer de pele ( melanoma ) á sete anos atrás, tem algum problema fazer uma tatuagem hoje, por favor me tirem essa duvida. obrigado

  6. tamara froís disse:

    fiz uma tatuagem no pé uma borboleta nas bolinhas da asa onde houve sangramento,deu algumas ondulasoes,e ate hoje naun saiu ficou e ta muito feia ,tento furar coma uma agulha e passo remedio ela abaixa, mais logo cresce novamente.naun posso cosar q ela fica ainda mais alta o q pode ser??? tenho a desconfiança de que foi pq coscei quando estava descascando!!!

  7. Lauro Toledo disse:

    Prezada Tamara,

    procure auxílio médico imediatamente. O médico sabe a melhor forma de tratamento para o seu problema. Boa sorte e cuide do seu pé.

  8. Ciclena da Silva disse:

    Grata pelas vossas explicações me foram muito úteis.

  9. Flávio disse:

    Absurdo como o preconceito resiste ao tempo……
    Em primeiro lugar não existe nada que justifique tal discussão, afinal não há relatos de câncer motivado pelo pigmento de tatuagem. Ou seja mera suposição preconceituosa.
    Além disso, se tiverem um pingo de discernimento irão perceber em pesquisas, até na própria internet que os pigmentos minerais utilizados nas tinturas de tatuagem artística servem, em geral, como uma barreira para os raios UV, ou seja, a tinta de tatuagem acaba por proteger sua pele, como se fosse um protetor solar.
    Isso é facilmente observado quando vemos que o dióxido de titânio (tintura branca de tattoo) é utilizado na fórmula de diversos protetores solares.
    Então é no mínimo irresponsável veicular uma matéria que cria um sentimento de temor quando o assunto é tatuagem artística profissional.
    Se existem indivíduos que utilizam material inadequado para “brincar de tatuar”, eles existem também como “falsos médicos”, “falsos dentistas”, ou qualquer outra profissão onde possam “atravessar” os verdadeiros profissionais.
    Nós tatuadores profissionais utilizamos todo equipamento, incluindo as tintas, com registro na ANVISA.
    Agora se vocês não confiam na ANVISA deveriam criticar eles, e não as nossas tintas.
    Com relação às doenças contagiosas é certo que mais de 70% dos casos diagnosticados tem como a fonte da contaminação parceiros sexuais. Mas estranhamente, talvez porque é de gosto geral, ninguém comenta tal assunto. Hepatites, HIV,HPV e tantas outras doenças graves são em sua esmagadora maioria adquiridas em relações sexuais.
    Ou seja, muitas vezes ,por falta de responsabilidade , as matérias evitam criticar aquilo que é conveniente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: